Quinto mês


Agências de viagens anunciam as cores da República Dominicana, as praias de Cuba, a cultura Mexicana e o calor de Bahamas. Para os québécois, a chance de fugir do inverno! Deixa, no ano que vem, eu também estarei me rendendo aos prazeres do sol!!! Enquanto isso, vou vivendo no lugar que é mais frio que o freezer da Electrolux que eu tinha lá no Rio. E o sol é apenas a luz dessa enorme geladeira.

Em 16 de dezembro outra forte tempestade de neve caiu sobre Montreal e as ruas ainda acumulavam a neve da tempestade anterior. Foi um caos! Mais de 1 metro de neve pelo caminho, atrasos, engarrafamentos, stress e -20 milhões na conta do governo que prometeu limpar tudo antes de Natal. E limpou!

Os dias passam rápido, as noites chegam mais cedo... O início do inverno me assusta!


A minha nova rotina me cerca de ansiedade. O trabalho da Sita não é complicado, somente os horários me chateiam. No meu departamento se trabalha 24h/7d e a rotação é mensal. A Sita está sempre procurando gente para preencher o quadro de funcionários, por isso quem fala português, espanhol, inglês e francês, pode trabalhar lá sem problemas.

As tentativas de fazer minhas próprias unhas continuam a me frustrar. E por horas eu me arrependo de jamais ter feito um curso de manicure. Da mesma forma, os botões das minhas roupas se acumulam numa caixinha porque eu não sei costurar... E às vezes, a criatividade para cozinhar também me falta.

Tenho tentado me organizar, fazendo uma tarefa a cada dia. Ter empregada doméstica por estas terras custa uma fortuna, a qual eu ainda não consegui acumular, e viver sem a ajuda de uma delas exige disciplina. Então, todos da família devem ajudar. É regra para o bom convívio e o não desenvolvimento da loucura, porque aqui de cada seis pessoas, uma é doente da cabeça. E eu definitivamente, não quero fazer parte desta estatística.

E por falar em fortuna, um dia desses eu li no jornal que os canadenses são os mais consumistas do mundo inteiro. Mas, muitos preferem fazer suas compras nos EUA. E não é por menos, os produtos vendidos no Canadá são em média 17% mais caros que os vendidos nos EUA. E em setembro, quando o dólar canadense ficou no páreo com o dólar do Tio Sam,
cerca de 4 milhões de canadenses nem pensaram duas vezes antes de cruzar a fronteira e adiantaram suas compras de Natal. Os 3 itens mais comprados foram Ipod Touch da Apple, DVD do Shrek 3 e o perfume Hypnose da Lancôme.

O mercado interno reagiu em outubro, baixando seus preços em 25%. Foi aí, que eu comprei os presentes de Natal das crianças. E só!

Após o Natal, as vendas do Boxing Day, baixavam ainda mais os preços. Era promoção pra acabar com qualquer estoque de loja! Mas, eu particularmente, achei que o movimento nos shoppings estava bem tímido. E os jornais, confirmavam: "
Os québécois são menos inclinados as compras de saldo de Natal". No Boxing Day, a média gasta por habitante em Québec gira em torno de 129$, enquanto na província mais rica, Alberta, a média chega a 431$.

É que especialistas em economia dizem que viver em francês sai mais caro. E Québec, é a
província menos rica e a que mais paga impostos em todo o país.

Cerca de 30% da população do Québec vive hoje com a ajuda social, o que possivelmente justifica o crescimento das filas nos bancos alimentares. A média de remuneração semanal é de 692,28$. Enquanto em Alberta, a média é de 787$.


Não que o Québec seja pobre, mas apresenta fatores que atrasam o desenvolvimento da província como por exemplo, taxa de desemprego de 9%, população envelhecida, mão de obra que carece de especialização, dificuldades nas finanças públicas e tímidos investimentos privados.

Mas, mesmo sabendo que o Québec tem lá suas dificuldades, essas são infinitamente menores quando comparadas as do Brasil. E a gente está só começando...

Publié parMichèle Aguiar  

5 commentaires:

K disse... 13 março, 2008  

Nossa... eu ia ter que me segurar muito pra não acabar com todo aquele dinheiro inicial que temos que levar!

Viver em francês é mais caro ou os franceses valorizam mais outras coisas, que não sejam produtos à venda numa loja?

Sei lá, não achei a diferença na remuneração média tão grande que justificasse essa diferença.

(Você só postou esse texto hoje mesmo?)

Sds,

K.

Anônimo disse... 14 março, 2008  

Olá Pessoal, fiquei apreensivo depois de um longo periodo sem novidades, mas tb depois vem com tudo. Eu fico por aqui só com agua na boca, aguardando minha hora q parece cada vez mais distante. Tampi!
Vcs souberam da Libra?! Eu saí um mês antes de acabar e estou na GEFCO. Vcs fizeram a melhor escolha de/a vida, para vcs e as crianças...
Sinto saudades de somente ler o blog. Estão usando e-mail?! Têm Telefone?!
Parabéns, força e coragem.
Abraço e beijos.
Chião, Alice e Adriane. Futuros cidadões canadenses/quebecoises.

:: ultranol :: disse... 15 março, 2008  

Legal! Pô, agora que vi, vc tá trabalhando na SITA? Eu lidei um pouco com eles na época que trabalhava na Variglog... tenho até um colega que trabalha lá (mas aqui no Rio)...
Ah, fala pro Pedro que se ele acha que tem Burger King em copacabana, diz pra ele mandar o endereço! hahaha... não tem, não... ele deve tar se confundindo com outra rede de junk food. hehehe

primaujp disse... 24 março, 2008  

Olá
Descobri a pouco o blog de vcs e já o li todo, também irei para Montréal, chegaremos dia 17/04 e também tenho um filhote como vcs, por isso me interessei muito pelas suas informações. Adicionarei vcs no meu blog.
Priscilla

FeeL disse... 28 março, 2008  

Cade os proximos meses??? :)

Postar um comentário