Resumindo a terceira semana


A terceira semana em Montreal passou bem rápido e foi bastante cansativa. Na segunda fomos ao RBC retirar o cartão Visa e em seguida, eu parti para o MICC, onde Ansari e outros responsáveis pelo Método FEL entrevistaram a mim e mais dois alunos. Para mim, foi uma oportunidade ímpar, conhecer todos os envolvidos no projeto e de cara fazer novas amizades, pois os outros dois alunos também são brasileiros e foi uma alegria trocar relatos sobre nossos primeiros dias em Montreal.

Terça foi dedicada a busca de uma creche. Com a lista fornecida pelo CLSC, liguei para 25 creches e consegui vaga em 2. A primeira `Garderie Educative Le Jardin des Colibris` tem duas creches em seu prédio, uma pública e uma privada. Um senhor muito atencioso, me explicou tudo, mas eu não gostei do lugar. Talvez a parte privada me agradasse, mas eu nem a visitei, simplesmente porque ela não tinha os subsídios do governo. Dali partimos para `Garderie des Petits pas Snowdon Inc.`, uma creche privada, mas com subsídios do governo. E que creche! Me lembrou a creche da Lara.

Enquanto na primeira o Rafa chorava para ir embora, na segunda ele chorava porque queria ficar. Pedro só não gostou de um detalhe: a creche é anglofônica. Para mim, isso não faz a menor diferença. Quando o Rafa for admitido para o ensino primário, ele aprenderá o francês de qualquer forma.

Foi nesse mesmo dia que Pedro adoeceu. Carioca, acha que o verão de Montreal é brincadeira. Ficou na friagem até tarde e teve que acionar um médico pelo GTA.

Na quinta, o Rafa foi levado para a creche às 7:30. Inibido, perguntou se havia um trenzinho para que pudesse brincar. Enquanto formalizavamos a inscrição, ele se intertia. Ao me despedir dele, fui surpreendida com: `Por que você veio aqui?` Pronto! Ele não teria qualquer problema para se adaptar aquele ambiente. Mas como tínhamos prometido, voltamos ao meio-dia para buscá-lo e a professora contou que ele se comportou bem. Lanchou e almoçou direitinho.

Em seguida fomos ao Accès Montréal, que fica na mesma rua da creche. Lá, Pedro autenticou alguns documentos para solicitarmos o auxílio financeiro à criança. Existem dois auxílios, um da província e outro do governo federal.

Na sexta, deixamos o Rafa na creche de novo. Dei-lhe um beijo e ele já foi brincar com o restante da turminha, a maioria asiáticos. Ele já está ciente que na próxima semana, a rotina será maior. Para facilitar a adaptação, pois o programa da creche aqui é um pouco diferente do Brasil, compramos lençol e coberta do Thomas, é que aqui as crianças tiram um ronquinho depois do almoço. E o Rafa só concordou em dormir na creche depois que negociamos a compra desses itens. Detalhe: a mochila da creche também é do Thomas. Haja Thomas!

A tarde recebemos as chaves do apto. E Pedro muito ansioso, apesar do mal estar, já quis começar a mudança que digamos, rendeu um capítulo a parte. Minhas reclamações deixaram Pedro meio estressado... Quando fizemos o contrato de aluguel, o síndico nos pediu um depósito de C$100, de acordo com a claúsula, o dinheiro seria devolvido, caso o apto não fosse limpo. E assim aconteceu. Lá foi a dita cuja aqui, reclamar com o síndico no sábado de manhã. Conclusão: ele nos devolveu o dinheiro e eu fiquei com cara de cachorro sem dono. Chorei só de pensar em limpar tudo aquilo. De repente, eis que surge Mme Iossifova, a ex-locadora. E eu ainda indignada com a sujeira na cozinha, não pude me conter. Ao que ela me respondeu: `Eu sou uma senhora de idade, não dou conta de fazer faxinas. O fogão e o exaustor não funcionam, mande o síndico te arrumar outro.` E lá vou eu de novo atrás do síndico, que me prometeu novos eletrodomésticos em breve. Enquanto isso, continuaremos comprando pratos prontos: Stouffer`s, Michelinas, Smart Ones e Campbell.

Esse episódio, me fez lembrar o comentário de alguém: recomeçar a vida em um país diferente, requer adaptar-se com os hábitos locais. Mas eu os digo, algo que eu definitivamente nunca vou me acostumar é com a sujeira dentro do apartamento desse povo. A marroquina falante, Mme Kharrouby e Mme Iossinofa me deixaram boquiaberta com suas amostragens de higiene. Socorro!!!

Sendo assim, o sábado e domingo foram dedicados a faxina e organização do apto, que só receberá um certificado de ISO de 100% de limpeza, depois de mais alguns dias.

Segunda comemoraram `La Fête du travail`, que no Brasil é comemorado no dia 1o de maio. Foi nesse dia, que também aconteceu um encontro de Brasileiros no Parc Lafontaine, próximo a estação de Sherbrooke. Bem que tentamos chegar lá, mas uma súbita vontade de fazer pipi do Rafael atrapalhou nossos planos. E faltando menos de 100 passos para o evento, tivemos que buscar um toillet no enorme Parque. Como era feriado aqui, tudo estava fechado, até mesmo o toillet do parque. Sem sucesso, acabamos refazendo o caminho de volta, ao que finalmente encontramos um local aberto, o Universel Cafe Bistro, que além do banheiro, serviu para fazer uma boquinha. E foi ali que Pedro finalmente tomou sua primeira cerveja em Montreal. Aaaah!!!!

Publié parMichèle Aguiar  

6 commentaires:

Cinthya Di Paula disse... 04 setembro, 2007  

Ueba! Agora a gente vai poder comentar sobre as aventuras de vocês! Muito bom, eu sentia falta desta opção aqui!
Beijos!

Marcio disse... 07 setembro, 2007  

Fala Pedro, fala Michele...
É o Márcio do FEL, lembra né... E então, já terminaram a saga do apartamento!
Conheço todos os pratos de micro-ondas que falaram, tem uns que não desceu...
O meu prédio tem um cheiro não muito bom também, realmente o pessoal é meio sem hábitos de higiene...
Qualquer coisa estamos por aê!
Abraços,
Márcio

daniela pedrinha disse... 08 setembro, 2007  

Oi Michele, que bom ver que tudo está correndo bem por aí. Criança realmente se adapta melhor que a gente, num instante eles fazem amigos e absorvem toda inormação que recebem.

Chato esse lance da sujeira no ap.. eu já li em outros blogs de brasileiros pelo mundo a mesma situação..ehhe! Como pode né?

Pedro já tomou cerveja??? E é mto diferente da nossa aqui? :P Querida um super beijo pra vcs, sorte e sucesso! E valeu por ativar os comentários, assim a gente pode dar um alô mais rápido qdo lemos os posts do blog.

inertia disse... 10 setembro, 2007  

Então quer dizer que casas imundas também são comuns aí no Canadá (eu notei isso quando morei nos EUA)... isso é chato. Pelo menos os produtos de limpeza aí no Canadá devem ser bem melhores. O lance de não ter tanque também é meio ruim, já tô pensando em lavar os sapatos na banheira mesmo!! hehehe
Agora, que dor de cabeça esse problema dos eletrodomésticos, hein? Mas o que importa é que vocês já conseguiram um lugar definitivo p/ morar (bom, pelo menos durante 1 ano) e estão conseguindo resolver as coisas rapidinho... Boa sorte aí! Quando der, postem umas fotos. Abraços.

Anônimo disse... 10 setembro, 2007  

Olá Mimi!
Cara mto show vcs terem saido do BR. E ai como estão as coisas?. O Toni havia falado, mas ñ pensei q fosse tão rapido.
Desejo boa sorte!

Abraços Eni

Marcos disse... 11 setembro, 2007  

Pedrof e Michele,
Estou super feliz por vcs. Vejo que estão aproveitando as maravilhas do primeiro mundo e já tem um AP grande. Gostaria que vcs soubessem que estou com saudades e que jajá vamos acabar com isso.... Nos aguardem! Por favor me enviem por email o telefone de vcs, pra q eu possa ligar e saber as novidades.

Postar um comentário